Deus e o diabo num mesmo lugar

O jogo “corre” normalmente, até que o atacante de um dos times sai na cara do goleiro e chuta a bola pro fundo das redes. A euforia toma conta de metade do estádio. A outra metade fica em silêncio. Torcedores felizes se abraçam, assim como os jogadores dentro de campo. Os outros torcedores, tristes, apenas observam. O autor do gol, conhecido atacante, sai em disparada. Não sabe bem pra onde correr, quem abraçar. Na dúvida, prefere apontar para o céu e dizer “Obrigado meu Deus, obrigado!”. O goleiro permanece no chão, desolado. Nem os gritos de “Vamo lá! Vamo lá!” do zagueiro o animam. Está chateado, mas não sabe bem com quem. Pode ser com os companheiros de time, que deixaram o avante entrar livre na área e fazer o gol. Mas pode ser também com Deus. A primeira alternativa é a mais adequada, afinal, não é muito bom brigar com o “Cara” lá de cima.

.

O futebol é um dos esportes mais populares do mundo. Todo mundo sabe o que é o futebol. Aqui ou na África, qualquer pessoa conhece o Kaká ou o Ronaldinho (pelos gols que ele já fez pelo mundo, e não pelos travecos com quem já se relacionou). Por ser o esporte mais popular do mundo, é praticado por pessoas de todos os tipos. São negros e brancos, católicos e protestantes e até mesmo surdos e cegos. Exceto os que não possuem os membros inferiores, qualquer um pode jogar uma partidinha de futebol. E mesmo aqueles que não jogam, assistem, discutem e torcem por alguma agremiação. Sendo assim, acho que o futebol deveria ser tratado com mais imparcialidade. Principalmente no quesito religioso. Acho que Deus (e esse Deus seja lá aquilo que você acreditar) não tem um time pra torcer. Ele certamente tem muitos outros problemas com os quais se preocupar, e não seria capaz de interromper tudo, sentar na frente da TV (ou olhar lá de cima mesmo, com visão quase que panorâmica) e assistir ao jogo tomando sua cervejinha gelada. Convenhamos, acho que não é isso que ocorre mesmo.

.

Existe muita coisa errada no futebol. Isso todo mundo sabe. São manipulações de resultados, juízes ladrões, jogadores mercenários, torcedores violentos e muitas outras coisas. Mas o futebol mexe com a paixão do torcedor, e quando a bola rola, tudo isso é esquecido. Mas o fenômeno religioso invadiu os campos. O que vemos hoje em dia, são pregações num local que não deveria ser palco para tal ato. Acredito que todas as pessoas acreditam em alguma coisa, em alguém que possa guiar seus passos ou algo assim. Mas o campo de futebol não é o melhor local para a pregação. Religião, pra mim, não é algo tão banal assim. É necessário que as pessoas se respeitem, que tenham suas preferências mas que saibam ver as outras pessoas que não fazem parte de seu grupinho como seres humanos também. Não existe certo ou errado e cada um deve acreditar naquilo que bem entender.

.

No futebol pelo mundo, o que vemos hoje em dia são demonstrações egocêntricas e falsas. Um jogador (ou torcedor, mas esse se deixa levar mais pelo fanatismo do que os jogadores) deveria pedir proteção para que nada de anormal ocorra dentro de campo, como contusões, brigas ou qualquer outro fenômeno que possa colocar em risco a vida das pessoas que ali estão. Mas não. Pedem pela vitória, e quando conseguem, fazem questão de demonstrar pra todas as pessoas que o Deus deles (no caso os vencedores) é maior que o dos perdedores. E se esse Deus for o mesmo? Se o atacante agradece, o goleiro assim que fosse batido não teria o direito de olhar para o céu e dizer “Porra, de novo? Por que você faz isso comigo? Eu rezo, rezo e você nunca me ajuda.”? Eu acho que sim, se pensarmos nessa lógica.

.

O que temos que colocar em mente é que questões religiosas não devem fazer parte de espetáculos que geram rivalidade, disputa. Um ou outro sempre vai perder, e isso não tem a ver com Deus. Ele não torce pra esse ou para aquele. Todos não acham que Deus é justo, não acham? E por que ele deixaria um de seus “filhos” triste, cabisbaixo por conta de uma interferência sua? Não existe lógica. Se orações, macumba ou qualquer outra manifestação religiosa ganhasse jogo, o campeonato baiano terminaria sempre empata, já que lá todo mundo oferece isso ou aquilo para os deuses. Portanto minha gente, vamos parar com essa demagogia de que um ganha ou perde por conta de Deus. Acho que se cada um se preocupasse mais com suas habilidades, seu trabalho e fizesse um pouco mais e falasse menos, as coisas seriam bem melhores e não transformariam o campo de futebol em mais um motico para guerras que se dizem santas.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s