Nem céu nem inferno

Foi uma noite estranha. Cheguei em casa, e ao abrir meu email, vi uma mensagem de um grande amigo. O Takezo – que não é japonês – eu conheci de vista na faculdade,  mas de espírito mesmo foi num show do Boom Boom Kid, em Campinas. Sempre foi um cara de ideias fortes, personalidade e as nossas “desavenças” sobre alguns assuntos fez com que nos aproximássemos. Hoje ele mandou uma dica de livro, um escritor chamado Christopher Hitchens que eu ainda não conhecia.

Lendo algumas coisas que ele – o Takezo – mesmo enviou, deu pra perceber que este escritor é um contestador. Gostei da entrevista que assisti, e de uma maneira geral ele duvida de tudo o que foi escrito nos mais diversos “livros sagrados” de muitas religiões. Mesmo não concordando com algumas coisas – mas concordando com outras -, acredito que informações e pontos de vista diferentes fazem a gente pensar um pouco a respeito do que foi dito. Como Hitchens diz, o que move as criaturas humanas é a dúvida, a diferença e não concordar com algo faz todo o sentido.

Logo em seguida, sem nem ter digerido um grande crítico dos “Deuses do Universo” e a forma como nós tratamos a religião, assisti o programa do Multishow denominado Rock Estrada, com Rodolfo Abrantes (ex-Raimundos). O cara simplesmente é o contrário do primeiro personagem. Largou tudo na vida pra adorar Deus e Jesus Cristo, e parece estar muito melhor do que quando era um astro do rock. Questão de escolha.

Não quero aqui fazer juízo de valores, nem de um nem de outro. E não prometo fazer isso depois, quando as coisas estiverem em seus lugares devidamente acalmadas. Acho que é bom ter várias opiniões, e não é covardia ficar em cima do muro. Admito que respeito os dois, e pra mim isso basta.

Espero que vocês tenham a grandeza de discordar de um deles, sabendo que isso não significa desrespeitar o outro. Ou que façam como eu.

Anúncios

7 pensamentos sobre “Nem céu nem inferno

  1. Discordo de varias coisas que esse cara diz/escreve, principalmente sobre a guerra no Iraque. Nada justifique a matança de inocentes. Mas acho q o mundo precisa de mais escritores assim, sinceros e sem medo de escrever o que pensa, ainda que perca todos os amigos e seja massacrado pela crítica (e idolatrado pela Veja)

    e só pra discordar de você, discordo. Acho covardia ficar em cima do muro. Importante conhecer os dois lados da moeda (ou entender o ponto de vista dos americanos e também da minoria curda, dos americanos e dos vieticongues, etc), mas ter várias opniões é covardia (nao sei se cabe aqui essa palavra.) Ou você tem opnião ou não tem, porra.

    quando vamos tomar uma cerveja e falar sobre a guerra contra o terror ?

    • Mas quem disse que eu tenho várias opiniões? Eu não tenho nenhuma formada, e mesmo que tivesse, isso não impede de eu aceitar ou respeitar alguma que seja contrária. Senão as coisas ficam muito 8 ou 80, o que não leva ninguém a lugar algum.

      Sobre a cerveja, vou ter que ir pra Valinhos né?! Em janeiro estou por aí, num dia na semana.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s