Um pouco de seriedade, por favor

Como publicitário, não gosto dessa linha de pensamento – e de ação – que leva o tom das campanhas sempre para o humor. Essa tendência, na maioria das vezes, é rotulada como criativa, mas não corresponde a verdade/realidade. Criatividade não está ligada somente à graça, à risada. Pra mim, existem casos e casos. Alguns merecem ser tratados com alegria, humor. Outros não.

No último fim de semana assisti na TV um vídeo da nova campanha do Governo do Estado de São Paulo sobre os perigos de beber e dirigir. Esse é um tema perigoso, visto que muitas pessoas morrem todos os dias nas estradas brasileiras por conta dos acidentes causados pela ingestão de alcool. Nem assim a população se conscientiza do perigo dessa mistura – alcool e direção. Eis que os “gênios da publicidade”, para retratarem o tema em questão, usaram o humor, criando o divertido personagem “Zé Trombada”.

Claro que o vídeo tem um tom de preocupação, mas inevitavelmente acaba sendo “engraçado”, o que faz com que as pessoas se identifiquem com o personagem e o tomam como exemplo. Muita gente vai querer ser o Zé Trombada, ao invés de ser o motorista da rodada, como sugere a Skol em outro comercial.

Nem todas as pessoas são idiotas, mas uma grande parte é, e isso precisa ser levado em consideração quando se cria uma campanha deste tipo. Aliás, são os idiotas que bebem em exagero e depois saem por aí matando pessoas com carros que tornam-se armas em suas mãos. Não sei se o mais certo é tratar temas desta natureza com cenas trágicas, dramáticas. Até acredito que não. Mas fazer graça da situação, na minha opinião, tornam as coisas mais perigosas.

Ao invés de alertar, “tira onda”. É a tal da publicidade com efeito contrário. Depois não adianta reclamar.

Anúncios

2 pensamentos sobre “Um pouco de seriedade, por favor

  1. Não concordo… TOOOODAS as campanhas sobre segurança na estrada mostra um monte de tragédia e ninguém se comove.

    Sem contar que a maioria dos bêbados são aqueles nossos amigos, super gente fina, bom coração e que a gente adora de paixão, mas que vive enchendo a cara e volta bêbado com o carro lotado de amigos.

    Acho que a idéia dessa propaganda é mostrar como é ridículo beber e dirigir, tanto quanto usar essas roupitchas bregas, escutar som no talo ou ficar se achando porque tem um carro véio com roda de “maionésio”.

    Achei brilhante! ;D

    • Eu não acho que a sua opinião esteja errada. O problema é que a ignorância faz com que as pessoas não vejam o real sentido da campanha, e leve tudo ainda mais na brincadeira.

      Por exemplo: assim que eu postei este texto o perfil do Zé Trombada passou a me seguir no twitter. Quer dizer, já começaram a avacalhar a parada, e o personagem jamais vai ser sinônimo de prudência, ou coisa que o valha. Vai ser legal ser o “Zé Trombada” da turma, ao menos que ele morra num acidente e choque uma pequena quantidade de pessoas.

      Em todo caso, é bom saber que pessoas diferentes enxergam de maneiras diferentes. Se der resultadio, tudo bem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s