O que a gente faz depois de levantar a taça?

“E assim eu vou, e assim a gente vai até o final ou até a parede mais próxima pra nos fudermos ou derrubá-la.” Zander.

Quando eu tinha lá meus 8, 10 anos de idade, era louco pra ganhar um Guliver de presente. Pra quem não conhece, Guliver era um jogo de futebol, mais ou menos nos moldes do futebol de botão, mas com hominhos de verdade, que mexiam a perna pra chutar e tudo. Eu achava aquilo o máximo, e como meu vizinho já tinha, era absolutamente normal que eu também quisesse um – uma vontade misturada com inveja.

Mas tinha um problema. Meu pai sempre foi do tipo que só dava presentes em datas especiais e comemorativas – Dia das Crianças, por exemplo, eu nunca ganhei nada porque faço aniversário em outubro -, o que acho certo, e esse desejo meu estava um pouco longe do fim do ano. Ou seja, eu teria que esperar um bom tempo para ter o meu Guliver. Assim, tive que esperar. Mas incrivelmente a vontade foi passando, dia a dia, e quando ganhei o presente já não tinha tanta empolgação assim para brincar. Tinha passado aquela vontade louca de jogar com meus hominho. Infelizmente, a demora fez com que eu me abatesse, e vi que outras coisas além disso estavam sendo mais interessantes naquele momento.

A vida tem um pouco disso. Sempre ouvi conselhos do tipo: “Tenha calma! As coisas não são da maneira e na hora que você quer”. Me acostumei com isso, e passei a ser uma pessoa muito paciente. Se por um lado isso me ajudou – é bom não explodir por qualquer coisa -, por outro pode ter me prejudicado. Acabei ficando paciente demais, querendo sempre entender tudo e todas as situações e deixando os meus desejos, por mais singelos que fossem, para trás. Fiquei sempre com a sensação de que uma hora as coisas mudariam, e continua assim até hoje. E sabe o que é pior? Tem muitas coisas que tem um tempo exato para acontecer, como a vontade de ter um Guliver na época em que eu era criança. Depois de um certo tempo, o desejo se torna uma vontade apenas mecânica, meio orgulhosa até, mas que jamais vai satisfazer a alma verdadeiramente.

O clichê dito por quase todas as pessoas é bem claro: “Só me arrependo das coisas que não fiz!”. É tudo uma grande mentira, afinal, quando a gente deixa de fazer algo é por uma escolha nossa – poucas são as exceções. Não sei se me arrependo das vontades que tive e não fui capaz de satisfazer, principalmente depois de adulto. São escolhas que fiz, independente de qualquer outra coisa, e agora não adianta lamentar. Aliás, reclamar é uma coisa que a gente faz muito, e que não adianta nada na maioria das vezes.Eu tento evitar o máximo.

O que fica de lição, pra mim, é que a vida poucas vezes te dá muito tempo pra pensar. É como quem diz: “Tú tem vontade de algo? Pense por 5 minutos e faça sua escolha! Mas seja rápido pois eu não tenho só você para atender”.

Cada escolha, sobretudo pessoal, gera um caminho no qual se deve prosseguir. Nem todas as pessoas, vontades ou brinquedos vão por este caminho, já que a escolha foi somente sua. Todos os gols que fiz com meu Guliver depois ficaram meio sem graça. Fiz por fazer, como o jogador que só joga por dinheiro e não por amor à camisa. Mas não posso reclamar. Jamais vou reclamar. A culpa, se é que alguém deva carregar um fardo assim, foi minha. Os jogadores fizeram a parte deles. Eu é que resolvi chutar na hora errada.

Anúncios

Um pensamento sobre “O que a gente faz depois de levantar a taça?

  1. Tem muitas coisas que tem um tempo exato para acontecer, como a vontade de ter um Guliver na época em que eu era criança. Depois de um certo tempo, o desejo se torna uma vontade apenas mecânica, meio orgulhosa até, mas que jamais vai satisfazer a alma verdadeiramente…

    essa parte faz muito sentido pelo menos pra mim…… se é que você me entende, chega a ser por comodidade também

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s